Skip to content Skip to footer

As Gregas no mercado de Opções: O que são e como usar

As Gregas no mercado de Opções: O que são e como usar

No mercado de Opções, o preço de uma opção pode ser influenciado por cinco variáveis-chave, que chamamos de gregas de Opções. 

Essas variáveis são essenciais para qualquer investidor em opções que deseja tomar boas decisões no mercado. 

Para compreender plenamente o impacto dessas variáveis, é fundamental dominar as “gregas” e entender como elas podem potencializar seus lucros. 

Neste artigo, exploremos cada uma das gregas de Opções e sua influência no preço das opções.

O que são as gregas de opções? 

As gregas de opções, também conhecidas como letras gregas, são medidas usadas no mercado de Opções para avaliar a sensibilidade de uma opões em relação ao preço do ativo, a volatilidade e ao tempo. 

As gregas de opções são conhecidas por: delta, gama, theta, vega e rho. 

Para o investidor, é imprescindível conhecer as gregas para tomar decisões. 

Por exemplo, suponha que você quer fazer uma estratégia de Opções, mas não entende o conceito de volatilidade. Você pode se prejudicar fortemente se tomar decisões sem uma análise bem feita.

Agora, vamos entender cada uma dessas letras de maneira individual e principalmente para te ajudar a investir melhor nas Opções. 

As principais letras gregas de opções 

As principais letras gregas de opções são: Delta, Gama, Theta,Vega e Rho, abaixo você vai entender cada uma delas. 

Delta de opções

Delta mede a sensibilidade do preço de uma opção em relação ao preço do ativo subjacente. 

O Delta representa a porcentagem do valor que a Opção valoriza ou desvaloriza para cada unidade mínima de variação no preço do ativo.

Ou seja, cada vez que o preço do ativo subir ou cair 1% o preço da Opção vai subir ou cair no valor do Delta.

Se você comprou um contrato de Opções de compra (uma Call) de Petrobrás, e o Delta da Opção é de 0,15 então cada vez que a ação da Petrobrás subir ou cair 1% o valor da sua Opção vai subir, ou cair em 0,15.

Portanto, Delta fica num valor entre -1 e 1.

As Calls tem delta positivo, ou seja, delta entre 0 e 1. Já as Puts tem delta negativo, entre -1 e 0.

Portanto, entenda que quanto mais perto de 1 ou -1 estiver o Delta da Opção, mais ITM (no dinheiro) a Opção está.

Gama de opções 

O Gama mede a mudança do Delta com relação à mudança no preço do ativo.

O Gama é a taxa pela qual o Delta vai mudar, cada vez que houver mudança 1% no preço do ativo.

Se o preço do ativo oscila 1% o Delta da Opção vai mudar pelo valor do Gama. Ou seja, usando nosso exemplo anterior: se uma Opção tem um delta de 0,15 e preço do ativo sobe 1% o valor do Delta irá mudar.

Portanto, após essa mudança de 1% no preço do ativo, se o Delta agora é de 0,20 então isso quer dizer que o Gama é 0,05.

Ou seja, o Gama é a aceleração do Delta.

Se você quer saber como calcular a aceleração, lembre-se do Gama.

Theta de opções 

O Theta representa a sensibilidade da opção em relação ao tempo que falta para o vencimento. Ou seja, o  Theta, é o preço do tempo. A cada dia que passa, a sua Opção mudará de valor, e esse valor é o Theta.

Por exemplo, se você compra uma Call com strike de R$ 250 pelo preço de R$ 10,00. Imagine que a Opção vence em 5 dias e o Theta é R$ 1,00.

Isso quer dizer que a cada dia que passa, a Opção perde R$ 1,00 em valor. 

Se se passaram 3 dias e o preço da Ação continuou em R$ 250, agora a Call vale R$ 7,00 (10 – 3 =7).

E aqui vem o pulo do gato: se você estiver certo sobre a direção do ativo, há grandes chances da mudança na direção do ativo compensar pela perda diária do Theta.

Se você é o comprador da call ou da put, o Theta age contra você e corrói o preço da sua Opção dia após dia.

Porém, se você for o vendedor do contrato, o Theta age ao seu favor. O Theta é o valor de decadência do tempo, e quanto mais próximo o dia do vencimento, mais o Theta aumenta.

Em outras palavras, vender uma Opção é uma estratégia conhecida por ter Theta positivo.

Vega de opções 

O  Vega é uma medida que está relacionada à volatilidade. Mais especificamente a volatilidade do ativo.

Ou seja, o Vega de uma Opção mostra o valor pelo qual uma Opção muda caso exista uma mudança de 1% na volatilidade implícita do ativo.

Ademais, é importante ressaltar que Opções compradas possuem Vega positivo enquanto Opções vendidas possuem Vega negativo.

Além disso, um ponto importante para você lembrar é que se o Vega de uma Opção é maior do que o spread bid-ask, é considerado que a Opção tem spread competitivo.

O contrário também é verdadeiro. Quer mais um exemplo?

Primeiramente, vamos imaginar que a ação X está cotada a R$ 50,00 em março e uma call de abril a R$ 52,50 tem um bid de R$ 1,50 e ask de R$ 1,55.

Agora imagine que o Vega dessa Opção é de 0,25 e que a volatilidade implícita é de 30%. Nesse caso, as Calls estão oferecendo spread competitivo: o spread é menor que o Vega.

Porém, o que acontece se a volatilidade implícita da ação subir para 31%? Bem, o bid da Opção vai para R$ 1,75 e o ask para R$ 1,80. Como chegamos nesses valores? Bem, lembre-se de que o bid e ask iniciais da sua Opção eram R$ 1,50 e R$ 1,55 respectivamente.

Se o Vega da Opção é 0,25 então esse valor somado aos strikes pelo aumento de 1% na volatilidade implícita nos traz esses resultados:

1,50 + 0,25 = 1,75
1,55 + 0,25 = 1,80

Rho de opções 

O Rho mede a sensibilidade do preço de uma Opção com relação à taxa de juros. Ou seja, se a taxa de juros se move 1% para cima ou para baixo, o preço da Opção vai variar no valor do Rho.

Porém, você pode estar se perguntando o porquê do Rho não é tão importante.

Bem, entenda que o motivo é simples: os preços das Opções são menos sensíveis às variações na taxa de juros do que a outros parâmetros.

Onde calcular as gregas de opções?

Para calcular e acompanhar as Gregas das opções, você pode utilizar plataformas especializadas, como o OpLab. 

Essas ferramentas oferecem uma visão abrangente das variáveis gregas, permitindo que você avalie como suas estratégias se comportarão em diferentes cenários.

O OpLab, por exemplo, não só fornece informações sobre as Gregas, mas também oferece a capacidade de simular estratégias com opções em tempo real.

 É uma ferramenta valiosa para investidores que desejam tomar decisões informadas e maximizar seus lucros.

Conclusão

Hoje você aprendeu sobre as gregas, e entendeu como essas variáveis formam e afetam o preço da sua Opção.

No OpLab quando você monta uma estratégia, você vê todas as Gregas na tela de Payoff e consegue ver como elas se comportarão no dia do vencimento e como estão se comportando no momento que você cria a estratégia.

Você já usa o OpLab? Faça já o seu teste grátis e simule as melhores estratégias do mercado em tempo real.

Leave a comment